Coronavírus - São Lucas Saúde
Para melhorar sua experiência, selecione qual o seu perfil abaixo:

Coronavírus

Estamos enfrentando uma pandemia do Coronavírus. Neste momento, a melhor prevenção é não se expor ao vírus e evitar contato com pessoas doentes e aglomerações, pois estamos vivendo um período de transmissão comunitária da doença.

Confira abaixo o perfil do vírus e as principais medidas de prevenção que devem ser adotadas.

Principais dúvidas

O que é?

Os coronavírus são uma grande família viral, causadores de doenças, que variam do resfriado comum à Síndrome Respiratória Aguda Grave. Essa nova variante do vírus (2019-NCOV) não havia sido identificada em humanos até janeiro de 2020.

Quais são os primeiros sintomas?

Os sintomas da COVID-19 podem variar de um resfriado, a uma Síndrome Gripal-SG (presença de um quadro respiratório agudo, caracterizado por, pelo menos dois dos seguintes sintomas: sensação febril ou febre associada a dor de garganta, dor de cabeça, tosse, coriza) até uma pneumonia severa. Sendo os sintomas mais comuns:

– Tosse
– Febre
– Coriza
– Dor de garganta
– Dificuldade para respirar
– Perda de olfato (anosmia)
– Alteração do paladar (ageusia)
– Distúrbios gastrintestinais (náuseas/vômitos/diarreia)
– Cansaço (astenia)
– Diminuição do apetite (hiporexia)
– Dispnéia (falta de ar)

Como é transmitido?

A transmissão acontece de uma pessoa doente para outra ou por contato próximo por meio de:

– Toque do aperto de mão contaminadas
– Gotículas de saliva
– Espirro
– Tosse
– Catarro
– Objetos ou superfícies contaminadas, como celulares, mesas, talheres, maçanetas, brinquedos, teclados de computador etc.

Quais são as medidas para prevenção?

As recomendações de prevenção à COVID-19 são as seguintes:

– Lave com frequência as mãos até a altura dos punhos, com água e sabão, ou então higienize com álcool em gel 70%. Essa frequência deve ser ampliada quando estiver em algum ambiente público (ambientes de trabalho, prédios e instalações comerciais, etc), quando utilizar estrutura de transporte público ou tocar superfícies e objetos de uso compartilhado.
– Ao tossir ou espirrar, cubra nariz e boca com lenço ou com a parte interna do cotovelo.
Não tocar olhos, nariz, boca ou a máscara de proteção fácil com as mãos não higienizadas.
Se tocar olhos, nariz, boca ou a máscara, higienize sempre as mãos como já indicado.
– Mantenha distância mínima de 1 (um) metro entre pessoas em lugares públicos e de convívio social. Evite abraços, beijos e apertos de mãos. Adote um comportamento amigável sem contato físico.
– Higienize com frequência o celular, brinquedos das crianças e outro objetos que são utilizados com frequência.
– Não compartilhe objetos de uso pessoal como talheres, toalhas, pratos e copos.
– Mantenha os ambientes limpos e bem ventilados.
– Evite circulação desnecessária nas ruas e comércios.
– Se estiver doente, evite contato próximo com outras pessoas, principalmente idosos e doentes crônicos, busque orientação e siga as recomendações do profissional de saúde.
– Durma bem e tenha uma alimentação saudável.
– O uso de máscaras em todos os ambientes é obrigatório. A utilização de máscaras impede a disseminação de gotículas expelidas do nariz ou da boca do usuário no ambiente, garantindo uma barreira física que vem auxiliando na diminuição de casos.

Como tratar a doença?

Por enquanto, não há medicamentos disponíveis para combater os coronavírus. Indica-se repouso e ingestão de líquidos, além de medidas para aliviar os sintomas, como analgésicos e antitérmicos. Mediante pneumonia, insuficiência respiratória ou sinais de infecção generalizada, é necessária a internação do paciente.

Caso apresente qualquer sintoma da doença, utilize o serviço de Telemedicina, ou  dirija-se imediatamente a uma dos Hospitais credenciados:

HOSPITAL SÃO LUCAS
Av. Brasil, n° 263
Vila Medon / Americana – SP
Fone: (19) 3475-7400 / (19) 3199-2570

HOSPITAL SÃO FRANCISCO
Praça Francisco Matarazo n° 60
Vila Galo / Americana – SP
Fone: (19) 3475-9900

Esclarecimentos aos beneficiários
O Grupo São Lucas Saúde reforça que está preparado e seguro para realizar o atendimento de casos suspeitos, seguindo o protocolo de manejo clínico e recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Dúvidas gerais

Quais dos exames específicos para detecção do novo Coronavírus, o COVID-19?

Os exames específicos para detecção do Covid-19 são os seguintes:

RT-PCR: realizado a partir do 3º dia após o início dos sintomas e até o 10º dia. Identifica o vírus no período em que está ativo no organismo, possibilitando a conduta médica mais apropriada para o caso clínico.

Sorologia: para que tenha maior sensibilidade, é recomendado que seja feito, pelo menos, 10 dias após os sintomas terem início. Caso esse teste seja apurado fora desse período pode ocorrer um falso negativo no resultado.

Além deles há os testes rápidos (de antígenos e de anticorpos), que proporcionam resultados rápidos, mas que, segundo o Ministério da Saúde, apresentam taxa de erro de 75% para resultados negativos.

Quais dos exames específicos para detecção do novo Coronavírus, o COVID-19, é coberto pelos planos de saúde?

Somente o exame RT-PCR tem cobertura pelo plano, com diretriz de utilização. Lembrando que para todos os exames precisam do parecer médico.

Qualquer um pode se dirigir a um laboratório para fazer o exame específico para detecção da COVID-19 a ser coberto pelos planos?

Não. Seguindo o que determina o protocolo e as diretrizes definidas pelo Ministério da Saúde, e conforme estabelecido na resolução normativa n° 453, de 12/03/2020, da ANS, o exame específico será feito apenas nos casos em que houver indicação médica para casos classificados como suspeitos ou prováveis de doença pelo COVID-19. Ou seja, somente com pedido médico devidamente justificado de acordo com as Diretrizes de Utilização da ANS.

O que fazer em casos de suspeita de Coronavírus?

A primeira medida é ficar em quarentena e isolamento familiar por 14 dias – tempo de incubação do vírus no corpo. Isso significa que quem estiver com suspeita de COVID-19 deve ficar sozinho em um quarto com as janelas abertas e sem contato com outras pessoas da casa. Também deve evitar passar pelas áreas comuns e utilizar máscara quando precisar ficar no mesmo ambiente com outras pessoas. Isto porque o vírus fica três horas suspenso no ar em ambientes fechados, o que facilita que outras pessoas da família sejam contaminadas.

O paciente com suspeita ou caso confirmado do novo Coronavírus deve ficar de repouso, tomar medicamentos para tratar os sintomas e ingerir bastante líquido. Caso haja febre forte e persistente ou falta de ar, deve ir ao hospital utilizando máscara.

Todos os beneficiários de planos de saúde terão direito a fazer o exame específico para detecção da COVID-19?

Sim, mas para a realização do exame SARS-CoV-2 (Coronavírus COVID-19 – DUT) é necessária a autorização prévia.

Meu exame para o COVID-19 deu positivo, ou seja, tenho o vírus. Os planos de saúde, cobrem o tratamento do novo cornavírus?

Importante registrar que não há tratamento específico para infecções causadas por Coronavírus. Pacientes infectados recebem medicação para aliviar os sintomas, como analgésicos e antitérmicos. O tratamento indicado pelo Ministério da Saúde é repouso e ingestão de bastante água e líquidos.

A cobertura do tratamento a pacientes diagnosticados com COVID-19 já é assegurada a beneficiários de planos de saúde, conforme a segmentação (ambulatorial, hospitalar ou referência) contratada.

Em casos indicados, o beneficiário terá direito a internação caso tenha contratado cobertura para atendimento hospitalar (segmentação hospitalar) e desde que tenha cumprido os períodos de carência, se houver previsão contratual.

Em que situações o paciente se enquadra na definição de caso suspeito da doença?

Conforme protocolo e diretrizes definidas pelo Ministério da Saúde, todos os casos em que  a pessoa apresentar febre (acima de 37,8° C) ou pelo menos um dos seguintes sinais ou sintomas respiratórios: tosse, dificuldade para respirar, produção de escarro, congestão nasal ou conjuntival, dificuldade para deglutir, dor de garganta, coriza, dispneia (falta de ar), saturação de oxigênio menor que 95%, sinais de cianose, batimento de asa de nariz, ou tiragem intercostal.

Onde o exame específico para detecção da COVID-19 deve ser realizado?

O exame específico pode ser realizado nos laboratórios habilitados por cada respectiva operadora para atender os beneficiários que preencherem os critérios determinados pelo Ministério da Saúde.

Quando devo ir ao hospital?

É importante evitar idas ao hospital quando os sintomas forem leves. No entanto, se houve febre persistente, tosse com sangue ou dificuldade de respirar, o enfermo deve procurar um médico imediatamente.

O Grupo São Lucas Saúde disponibiliza a Telemedicina que pode ser utilizada também em caso de dúvidas ou suspeita de Coronavírus.

Estou com suspeita de ter contraído o vírus, sentindo febre, tosse e dificuldade de respirar. O que devo fazer? Devo ir direto a uma emergência hospitalar?

Em 80% dos casos, os sintomas do Coronavírus são leves, semelhantes a uma gripe. Nestes casos, a orientação da Organização Mundial da Saúde é evitar sair de casa.

Em caso de dúvida quanto a seu quadro de saúde, acesse o serviço de Telemedicina que disponibilizamos exclusivamente para beneficiários.

O Ministério da Saúde orienta a evitar aglomerações e locais com muita gente, ligar para o 136 e, se for o caso, procurar uma unidade de saúde e não um pronto-socorro.

De todo modo, se tiver febre, tosse e dificuldade em respirar, procure atendimento médico o quanto antes para reduzir risco de desenvolver infecção mais grave.

Qual a diferença entre gripe e Coronavírus?

O novo Coronavírus e a gripe têm alguns sintomas em comum, como coriza, congestão nasal, febre, fadiga, dores no corpo e tosse. No entanto, a COVID-19 pode evoluir para casos de pneumonia viral ou insuficiência respiratória – a dificuldade ou incapacidade de respirar por conta própria; já a gripe dificilmente apresenta falta de ar e, caso não seja tratada, pode causar pneumonia bacteriana. As doenças também se diferem pois não são da mesma família viral: a gripe é do grupo Influenza; já o Covid-19 é do grupo Coronavírus, chamado de Sars-Cov-2.